Descobrindo a Califórnia – Parte 5

Hello All,

Nosso domingo chegou e depois de um dia simplesmente sensacional em San Diego (se ainda não leram, por favorzinho leiam e se apaixonem, só clicar aqui), nos preparamos para ir a Santa Mônica.

Lembro bem, que esse foi o dia que mais estávamos cansados, durante toda a viagem. No dia anterior tínhamos saído de casa  umas 9 horas da manhã e chegamos por volta das 22 horas, Lucas já estava dirigindo á séculos e nosso corpo estava bem cansado. Maaaas, um dia incrível estava por vir e foi literalmente, um dos melhores da nossa viagem.

Hora de Agradecer 

Logo pela manhã, acordamos bem cedinho e fomos direto para a missa na igreja do centro de Santa Bárbara, é uma igreja linda, com um estilo bem clássico. Eu e Lucas somos católicos e não importa onde estejamos, não deixamos de participar das missas no final de semana. Assim, quando chegamos em cada cidade, entramos no site das paróquias e encontramos os horários das missas, é muito legal descobrir como pequenas coisas durante a celebração mudam bastante quando se saí do seu país.

 

Completamente abençoados e agradecidos por estar realizando nosso sonho, chegamos em casa e tomamos nosso café da manhã de leite com nescau (que levei do Brasil, para fazer brigadeiro para Reilinha 🙂 ), nos arrumamos e fomos lindos e maravilhosos conhecer mais da Califórnia.

Pé na Estrada

Santa Mônica fica a 25,2 Km de Los Angeles, ou seja, praticamente do lado! Como já sabem estávamos em Santa Bárbara e chegamos na cidade em mais ou menos 2 horas.

Santa Mônica

A primeira coisa que Lucas disse quando chegamos lá, foi que ele se sentia em GTA, eu obviamente fiquei boiando, já que tenho tanta intimidade com o Vídeo Game, quanto tenho com a China.  Mas para quem gosta, dizem que é bem incrível a chegada da cidade com a realidade do game.

A cidade tem uma rua que durante uns 10 quarteirões, são feitos apenas de prédios de estacionamento, então acho que é meio implícito um aviso de que NÃO PAREM NA RUA. Como somos obedientes, colocamos o carro no estacionamento, que mesmo com tantos, não é fácil de ter vaga, em agosto pelo menos.

Começamos a andar e logo sentimos o clima incrível da cidade. Ela estava completamente lotada, eram pessoas andando para todos os lado, entrando em todas as lojas e muçulmanos andando com três sacolas cheias de bolsas Michel Kors (é sério, eles devem ter tubos de grana – hahaha) e muita, muita criança, o que me encanta sempre.

Chegar no pier de Santa Mônica é um sonho se realizando, ele não só ao meu ver, tem a vista mais fantástica de todos os píer da Califa que visitamos, como o parque de diversões na beira do mar, faz daquele lugar o melhor do mundo. O ingresso do PACIFIC PARK para todas os brinquedos custava US$ 24,95 para adultos e US$ 16,25 para crianças até 7 anos, mas caso você prefira pode comprar ingressos para brinquedos específicos, que custam entre 4 a 6 dólares. Não deixem de ir a pelo menos um, vale muita a pena.

O pier tem muito mais lojas do que o de Santa Bárbara, tem lembrancinhas que não se acabam mais e quando você for ver, de 1 dólar a 1 dólar, você gasta bastante dinheiro. Parei para comprar um imã para minha coleção e percebi que os preços lá eram um pouco mais caros que de Santa Bárbara, mas na mesma faixa de San Diego.

Nós ficamos bastante tempo admirando e curtindo o píer, lá tem vários artistas se apresentando. Vimos um grupo de dança de rua absurdo de bom, mas cuidados com os famosos Tips, ou seja, as gorjetas, lá elas são quase tabeladas, de tão obrigatório que é você sair distribuindo dólares por ai.

Depois que saímos do píer, fomos caminhando pela orla e pela rua principal. Existem muitos food trucks e barezinhos tipicamente americanos por lá, garçonetes e garçons lindos e novos, muitos drinques e jogos passando nas televisões faz de Santa Mônica uma cidade bem jovem. Tacharam, chegamos a um dos maiores moles que demos na viagem, simplesmente, não sei como até hoje, não sabíamos que Venice Beach ficava no final da orla de Santa Mônica, é como se fosse Ipanema e o Leblon. Então, claramente como qualquer pessoa boa em roteiros, diria para vocês conhecerem esses dois locais no mesmo dia, é o que vou dizer, mesmo não tenhamos feito isso (hahaha)

Venice Beach

Se você andar pela orla mesmo, assim que você sair do parque vão ter vários lugares de locação de bikes e patins, alugue um e vá até a inigualável Venice Beach, com certeza, não leva nem 10 minutos.

VENICE BEACH é a cidade mais hippie que já fui na minha vida. Pensem em uma galera doida e autentica? Esse é o povo da cidade, todo mundo está lá para se diverti, literalmente todo mundo, até quem está trabalhando, está se divertindo.

A liberdade é a marca do clima dessa praia, foi lá a primeira vez que vi um podrão nos EUA (aquele lugar bem pé sujo mesmo, que vende aquelas comidas com tudo dentro), foi lá também que descobri o que era um Dr. Marijuana (algo até engraçado de tão doido que é). Nesses “consultórios” as pessoas chegam e dizem que estão com dor de cabeça, por exemplo, e eles te receitam maconha, daí com essa receita a compra da maconha não se torna ilegal (hã????) O estado finge que o povo compra para fins medicinais e no final sai todo mundo feliz de lá!

 

Se em Santa Mônica você já presencia vários artistas de rua, em Venice é uma explosão de arte. Tem gente contando piada, cantando, dançando, fazendo tatuagem e se contorcionando para todos os lados. E para cada artista desse, sempre tem um público, tem a galera da paz também, que fica meditando por lá. O dia que fomos estava ventando bastante e com um sol lindo, aquela vibe do lugar faz você querer ficar lá para sempre.

Além de ficar na praia e na orla, deixe um tempo para sair andando pelas ruas de Venice também. Ela tem esse nome, justamente por ser cortada por diversos canais entre cada rua. Nunca fui a Veneza, mas lembram da minha sensibilidade europeia? Então posso, te dize que Venice é a Veneza dos EUA. As casas têm seus barquinhos e tem pontes para todos os lados.

Lá nós presenciamos aquele ambiente de praia, basquete e carrões. Quase todas as casas tinham uma cesta de basquete, e na orla os times jogavam várias partidas o tempo todo. Vimos também, aquelas oficinas de reforma de carrões, foi a primeira e única vez que vi um Lamborghini na minha frente, juro que o som do motor dele faz qualquer um se arrepiar, até quem não gosta de carros.

Depois de andar pelas ruas, voltamos à praia e aproveitamos o pôr do sol espetacular. De lá nós fomos embora, mas como você, está lendo esse artigo antes de viajar para lá, volte pela orla de Bike, com o pôr do sol de plano de fundo!

O pior refrigerante dos EUA

De volta à Santa Mônica, preciso contar do melhor hambúrguer que comemos em toda a viagem, o Stake and Shake, fica bem no centro da cidade, de frente para a pracinha. A Hamburgueria tem um preço ótimo e tem muita variedade de escolha, inclusive Coca-Cola de todos os sabores. Em toda Califórnia tem um refrigerante muito famoso o Dr. Pepper, se você quiser provar para matar a curiosidade, vai fundo. Mas se aceitar uma dica: NÃO FAÇA ISSO, tem gosto de xarope para tosse, hahahaha.

Enfim, esse foi o nosso dia nos dois lugares que mais AMAMOS na vida, espero muito que agora você esteja entrando no site do passagens imperdíveis e buscando sua passagem para a Califórnia, você nunca vai se arrepender.

Semana que vêm, vamos contar do nosso dia em Hollywood, o coração da Califórnia. Já vou te dizer que tem muito cinema, muita calçada da fama, museu de cera e diversão que não acaba mais.

Obrigada por viajarem junto com a gente, pois temos muito amor para compartilhar.

Mil Beijos!!

Letícia Vianna.

Acho que você vai gostar:

1 comentário

Deixe uma resposta